Equipe da Fiscalização realiza choque de ordem em Rio das Ostras

0
2369
COMFIS e Guarda Municipal Trabalham Juntas no Centro e Costazul.

A Prefeitura de Rio das Ostras está trabalhando para organizar a cidade para moradores e turistas.

Depois de notificar todos os quiosques das orlas e reposicionar os profissionais da Renda Alternativa no início do mês de janeiro, na última sexta-feira, dia 27, a Coordenadoria Municipal de Fiscalização e Licenciamento – COMFIS voltou às ruas para fiscalizar.

Na ação de choque de ordem a COMFIS contou com o apoio do Grupamento de Operações Especiais da Guarda Municipal, que acompanhou o trabalho que começou no Centro da Cidade e se estendeu até a Praia da Tartaruga e a orla de Costazul.

Segundo a equipe da COMFIS os permissionários dos quiosques estão colaborando e cumprindo as determinações de ocupar somente 50% da faixa de areia com mesas e cadeiras para clientes e usando apenas som ambiente. Os trabalhadores da Renda Alternativa também estão mantendo as novas localizações e, com isso, facilitando a ação de fiscalização.

Os fiscais também estão aproveitando o trabalho para iniciar o recadastramento da Renda Alternativa, que é feito regularmente de seis em seis meses. Outro trabalho importante que está sendo feito pela COMFIS é a atuação nos eventos da cidade. “Todos os eventos realizados na cidade terão a supervisão da Coordenação de Fiscalização”, afirmou o assistente Cosme Uedson.

As ações de choque de ordem continuarão durante toda a alta temporada e em todos os eventos, sempre com o apoio da Guarda Municipal.

                                                         Interdição

O trabalho de fiscalização da COMFIS também está sendo feito em toda cidade. Depois de uma denúncia feita através do Fale Conosco da Prefeitura Municipal, a equipe interditou uma fábrica de sacolés que funcionava no Centro da Cidade sem nenhum tipo de autorização. Os produtos tinham procedência duvidosa e eram fabricados sem qualquer higiene.

As embalagens da Fábrica de sacolé encontravam-se no chão-Divulgação.
As embalagens da Fábrica de sacolé encontravam-se no chão-Divulgação.

Os fiscais descartaram os produtos, apreenderam o material utilizado para embalar, recolheram os carrinhos que vendiam os sacolés, e interditaram a fábrica clandestina.

Os fiscais descartaram os produtos, apreenderam o material utilizado para embalar, recolheram os carrinhos que vendiam os sacolés, e interditaram a fábrica clandestina.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA