Jovem Professor Negro Humilhado no CIEP Mestre Marçal, Considerado a Faixa de Gaza das Escolas de Rio das Ostras: “Não Desisto dos meus Sonhos”.

2
1398
Rio das Ostras-RJ-Divulgação

O jovem município de Rio das Ostras-RJ com seus 24 anos de emancipação política/administrativa de Casimiro de Abreu-RJ, já foi considerada a terceira cidade no IDH (índice de Desenvolvimento Humano) em 2010 e no mesmo ano, foi a cidade que mais cresceu no Brasil em 10 anos pulando de 35 mil para mais de 106 mil habitantes e sendo a mais nova da região da Baixada Litorânea sempre teve a fama de acolhedora e como diz o seu Hino “Cidade mãe que acolhe quem nasce ou quem vem pra ela”, tem estado ultimamente na mídia pelo o aumento da violência, manchando a fama deste que é considerada um paraíso, apesar dos esforços do recente governo que tem tentado colocar a casa em ordem, mas são muitos os problemas na cidade que hoje presencia assaltos à luz do dia e em diversos bairros e sem distinção.

As promessas do novo prefeito Marcelino da Farmácia e do seu secretário de segurança Marcus Rezende de devolver a tranquilidade  ao Riostrense ainda não se fez notar, muito embora se sabe que serão necessárias uma série de medidas e isso requer um tempo que a população não está mais disposta a esperar, mas que é preciso porque a criminalidade não vem de agora, com a crise que se estabeleceu na capital do Rio de Janeiro e com a implantação de medidas mais efetivas da Força Nacional de Segurança, era de se esperar que bandidos e outros malfeitores buscassem se esconder na região dos lagos e baixo litorânea.

Além da violência nas ruas, Rio das Ostras infelizmente tem estado na mídia de todo país e até no exterior, devido a um triste episódio que veio à tona em uma das escolas da rede de ensino do município, o CIEP Mestre Marçal que foi municipalizado como todos os demais.

Professor Thiago dos Santos Conceição-Foto:Reprodução TV Globo.
Professor Thiago dos Santos Conceição-Foto:Reprodução TV Globo.

O jovem professor de português Thiago dos Santos Conceição, negro, 31 anos foi agredido verbalmente, descriminado e humilhado, sendo alvo de palavras de baixo calão, nesta terça feira, 18 de setembro mostrado por um vídeo gravado por um dos agressores, o vídeo viralizou em todas as redes sociais chegando até a imprensa nacional que dedicou espaço para esse ato desumano contra um profissional que sai da sua cidade Itaboraí-RJ, viaja por muitos quilômetros até Rio das Ostras para fazer o que mais gosta, ensinar, mesmo não tendo o devido reconhecimento financeiro, de acordo com a realidade brasileira e como foi posteriormente constatado sempre sendo insultado desde do início do seu ofício aqui no município de Rio das Ostras, em fevereiro deste ano.

Depois da repercussão que mereceu o ocorrido, diversas autoridades procuram investigar os pormenores do infeliz episódio entre outros ocorridos naquele estabelecimento.

O secretário Municipal de Educação e Esportes declarou a Inter TV local que havia disponibilizado para o professor assistência jurídica e psicológica, o que foi negado pelo o professor Thiago em entrevista ao jornalista Paixão no RJTV, onde afirmou que não teve nenhum tipo de apoio da direção da escola e nem da Secretaria de Educação.

A Prefeitura de Rio das Ostras afirmou que os alunos envolvidos no caso foram suspensos e estão sendo analisadas quais outras medidas socioeducativas podem ser tomadas. Segundo a direção da escola, a turma é formada por alunos que vieram transferidos de outra unidade de ensino, e muitos deles são indisciplinados. No entanto, ainda não tinham sido registrados episódios como os ocorridos nesta semana.

O Ministério Público Estadual entrou através da Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude da Comarca de Rio das Ostras. O órgão informou que um dos estudantes é maior de idade e, por isso, vai comunicar o fato à Promotoria de Justiça Criminal, que possui atribuição para crimes cometidos por maior de idade.

“Em relação aos menores de idade, já estão sendo adotadas as medidas cabíveis ao oferecimento da representação pela prática dos atos inflacionais análogos aos crimes de desacato, ameaça, constrangimento ilegal, tentativa de lesão corporal e dano ao patrimônio público”, revelou o MP.

O delegado Carmelo Santalucia, da 128ª Delegacia de Polícia em Rio das Ostras – RJ que ouviu o professor Thiago dos Santos Conceição na tarde deste sábado, 22 de setembro  disse que as ofensas vinham evoluindo e tinham cunho racista e homofóbico.

São seis os identificados e investigados de agredirem e humilhar o professor Thiago dos Santos Conceição incluindo o aluno que fez as imagens as gravações na terça feira,18 onde estudantes do 9º ano aparecem insultando o professor, amassando e até comendo parte das provas, o maior de idade poderá pegar até nove anos de prisão.

O professor apresentou para o delegado um documento que comprova que as ofensas já haviam sido comunicadas à direção e que o caso foi registrado administrativamente pela escola. O delegado afirmou que se constatar que houve omissão por parte da escola, os responsáveis também poderão ser investigados.

                           CIEP Mestre Marçal Também conhecido como Faixa de Gaza.

CIEP Mestre Marçal-Rio das Ostras-RJ-De Olho em Rio das Ostras.
CIEP Mestre Marçal-Rio das Ostras-RJ-De Olho em Rio das Ostras.

Não é toa que a fama do CIEP Mestre Marçal municipalizado é conhecida por quem já frequentou essa escola como alunos, funcionários, prestadores de serviço e principalmente professores, agentes escolar, monitores e demais servidores.

A violência na escola já virou lugar comum e os descasos e desrespeitos com os servidores são ignorado por quem deveria cuidar da integridade desses profissionais e dos próprios indefesos alunos.

Antes da mudança do quartel da Guarda Municipal que ficava ao lado do referido CIEP, era comum as confusões e alguém da portaria ou outro funcionário correr pra chamar um guarda para apartar brigas e quase que diariamente as brigas agendadas em frente ao Fórum a céu aberto, pra isso é só a justiça solicitar as imagens ao Fórum para ver o paraíso.

A polícia realizou uma perícia no CIEP Municipal Mestre Marçal e encontrou pichações de órgãos sexuais e que faziam apologia a facções criminosas.

A polícia informou que a direção da escola disse que essa situação é corriqueira na unidade.

“Até do surgimento desse fato, não tínhamos noticias de crimes praticados no interior dessa escola, mas depois dessa denúncia, surgiram outras pessoas denunciando fatos parecidos”, informou o delegado.

O De Olho em Rio das Ostras teve acesso a diversas declarações de, mas resolvemos fazer um resumo com esse depoimento de uma ex-professora postada no Facebook e optamos por não identificá-la:

Trabalhei nesse horror e afirmo: não é caso isolado. Só foi filmado!
Professor pra Prefeitura de Rio das Ostras é lixo. Até desconto em caso de doença tem.
Esse profissional pediu demissão porque não ia ter respaldo institucional nenhum!
Nesse CIEP terrível arrancam sim parede, picham tudo, arrancam ventilador da frente da sala pra ficarem sós no fundo.

Uma discrepância de idade que eu dava aula pra sétimo ano com alunos de 15a18 anos! Eles deviam ter 12-13.

Eu vi aluno ir pra casa descalço, pois arrancaram tênis dele na sala de aula e nunca mais apareceu. Olha os uniformes, bonés, celulares, ninguém olha!

É uma escola até nono e olha o tamanho desses caras!

Perguntei a um aluno se ele estava zangado porque brigou com a namorada? Tentando socializar e desarmar o mau humor. Ele me respondeu que ia colocar minha filha de quatro num quarto pra ver se ela não ia gostar. Caso importe, minha filha tinha quatro anos.

Fui fazer o registro na coordenação, ele não negou, mas me mandaram voltar pra sala.

Fui a direção contar o acontecido e a diretora indicada irmã de vereador sem sair de sua mesa, impassível ante a meus prantos disse que não era problema dela e que se eu fosse a delegacia devia ser após o horário de trabalho ou seria descontada.

Fui fiz o Boletim de Ocorrência e não podia mais voltar ali, fui à ouvidoria registrar queixa, fui a Secretaria de Educação junto com o Sindicato, a queixa sumiu.

A secretaria resolveu assim: A nobilíssima Casa de Educação de Rio das Ostras me chamou pra uma reunião de portinhas fechadas pra me dizer que ou eu voltava pra lá ou perdia o emprego por livre e espontânea concordância bastando assinar o papel. Assinei. Melhor passar aperto financeiro que perder a dignidade.

O que precisa ser feito para mudar essas e outras situações:

Quando alguns diretores de escolas deixarem de se sentir à cima do bem e do mal e interagirem mais com as pessoas que dependem da sua atenção, ou seja, alunos, pais, professores e secretariado, assim as coisas mudarão no interior de alguns estabelecimentos que podem ser comparados a algumas unidades da “Fundação Casa” com verdadeiras gangs uniformizadas diferenciadas pela cor dos bonés atormentando os “alunos de bem e menores” ou disputando espaço na distribuição de produtos ilícitos.

Quando a maioria dos pais que mandam os filhos para as escolas esperando que os professores assumam a responsabilidade total por eles e quando comparecerem as reuniões de pais quando convocados pela escola e não aparecem mesmo sendo do seu interesse.

Quando os profissionais de educação forem mais respeitados por alunos e seus responsáveis e quando o Brasil resolver fazer uma reforma radical no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) que além de aterrorizar pais e educadores enche de direitos os futuros cidadãos do Brasil não permitindo que nem os pais, o mais renomado educador, orientador, comissário de menor, policial, guarda, médico, ou seja, lá quem for segure pelo menos as mãos deles quando resolvem lhe dá uma tapa no rosto, como acontece em algumas escolas de educação infantil onde algumas professoras apanham diariamente e não tem a quem reclamar.

Mesmo decepcionado ele não pretende desistir

Thiago dos Santos Conceição-Foto: G1
Thiago dos Santos Conceição-Foto: G1

“Eu desejo continuar com a minha profissão, não desisto dos meus sonhos, mas temo pela minha vida”. Disse o professor Thiago

 

 

 

 

 Fonte: Entrevista do delegado Carmelo Santalucia-Portal G1

 

 

 

2 COMENTÁRIOS

  1. Em 2016 minha filha tbm sofreu perseguições e ameaças nessa escola. Só que corri atrás, fui na coordenação por duas vezes, isso pq a Diretora não nos atende e ai veio uma outra dizendo que era diretora e mais pra frente acabei descobrindo que era mentira. Enfim, continuei indo na escola e nada foi resolvido e aí fui tentar uma vaga em outra escola e não estava conseguindo, até que falei que iria na delegacia e fui na ouvidoria da secretaria de Educação e aí consegui vaga numa outra escola. Na época minha filha estudava de tarde e fiquei sabendo que no mesmo dia que fui pegar o papel da transferência tinham cortado o pescoço de uma menina com tesoura. Aquilo ali não é uma escola, mas parece uma casa de detenção, onde é cada um por si e Deus por todos. Isso é sobre a escola Mestre Marsal

    • Sra Ana Paula,
      Queremos agradecer a sua colaboração e dizer que o seu depoimento só ajuda as autoridades
      a prestarem mais atenção naquela escola e em outras e seus dirigentes que são responsáveis por diversas vidas de
      jovens, professores, servidores e colaboradores em geral que convivem em ambientes hostis.

      Grato, De Olho em Rio das Ostras

DEIXE UMA RESPOSTA